quinta-feira, 3 de setembro de 2015

SERÁ A UNIÃO EUROPEIA O QUE PARECE?

Não deixem de ler mesmo que tenham algum sentimento de incredulidade e, ou, vontade de me chamar nomes.

Clicar aqui para ler!

3 comentários:

Ricardo disse...

Como demonstraremos ao longo deste ensaio,a política externa dos Estados Unidos visa essencialmente perenizar a hegemonia americana,sem rival desde o fim da Guerra-Fria,e impedir o aparecimento de concorrentes geoeconómicos,princípalmente da Rússia e da Europa Ocidental.Está portanto em grande parte voltada contra os interesses das nações europeias.Conscientes de que um europa forte e independente estaria à altura de ultrapassar os EUA em todos os campos de poder,nomeadamente o económico,os estrategas americanos querem a qualquer preço evitar o mínimo despertar,matar no ovo a mínima veleidade de autonomia europeia,no caso de que alguns dirigentes mais lúcidos decidissem organizar uma Grande Europa Continental,reconciliando os seus "dois pulmões",ortodoxo e ocidental.Daí a vontade americana de enfraquecer e diliuir o continente europeu incluindo-em nome da OTAN-a Turquia na União Europeia(nota:estas linhas foram escritas em 2001)e por consequência afastando-a ainda mais da Rússsia(daí que a Rússia se virou para a China e os Brics),a fim de que a constituição de uma Grande Europa Continental independente e forte(ao contrário do que é a actual UE em 2015),susceptível de fazer concorrência aos Estados Unidos nunca veja o dia.Estratégicamente a Europa arrisca-se a pagar muito caro a factura da "ocidentalidade"(mais americana que europeia)e a Taxa estratégica do "Atlantismo",simples máscaras do seu enfeudamento aos Estados Unidos:dividida internamente,cortada em dois por uma nova "cortina de ferro" civilizacional e sócio-económica,e presa por tenazes entre um Sul islâmico radical e vingativo e um "Ocidente" americano hegemónico destruidor de identidades,a Europa não parece pronta para afrontar os sérios desafios do séculoXXI que podem muito simplesmente fazê-la desaparecer enquanto civilização plurissecular se não reagir muito depressa.(texto retirado de "Guerras Contra a Europa,livro de 2001)----meu comentário:Obviamente que onde se diz hegemonia americana no texto deve-se ler hegemonia Zio-anglo-americana e a sabotagem da civilização europeia faz parte do plano.Alguns governos europeus acabam por ser coniventes(por cobardia ou por cumplicidade)em tudo isso,alguns avisaram ao longo de décadas para o que estavam a preparar mas mesmo aqueles supostamente mais inteligentes se deixaram distrair.

Zé Quintão disse...

Caro e Amigo Adamastor; parabéns e obrigado por me ter ajudado através deste Ensaio a compreender e arrumar ideias sobre esta História, realmente, a verdadeira, que deveria ser ensinada aos nossos desde tenra idade. Naturalmente que a formação está inquinada nas nossas escolas, porque assim interessa às elites. Veja-se como se ensina a generalidade dos conteúdos aos jovens, sem qualquer nexo, estanques e sem sentido como convêm. As próprias elites,( nossas incluídas) se soubessem um pouco mais de geografia, história e somar 2 mais 2, perceberiam onde isto tem fortes probabilidades de chegar.
Este Ensaio demonstra através de um hábil e esclarecido fio condutor, que são eles os tais; os que fazem a Tese, a Antítese e depois aparecem com a solução milagrosa a aplicar para bem dos povos. O espírito do mercador de Veneza, exala e medra através dos tempos e em todas as sociedades, em que a globalização vai estendendo seus tentáculos, mas ai daquele, que critique ou mesmo se limite a fazer reparo, será exposto e ser-lhe-à apontado o dedo, silenciando-o. Todos muito bem organizados, vão levando toda esta gente, hipnotizada e alucinada, tal como se leva o gado para o matadouro. As migrações estão na ordem do dia e certamente serão elas a decidir o futuro do El Dourado. Estes europeus não deveriam ter ilusões quanto ao facto de se terem agarrado a este modelo de desenvolvimento podre e insustentável, onde se trabalha mais e mais para consumir mais e muito, preferindo o carro, as férias, o cão e o gato, ao invés de terem namorado, casado e terem tido filhos. Após o endividamento vem a escravatura. Os espaços, esses sempre foram ocupados pelos que procriaram. A multiculturalidade funcionará? Estudemos a história, talvez precavamos o nosso futuro..

Ricardo Amaral disse...

Atenção a este post http://www.veteranstoday.com/2015/09/11/nwo-agents-and-satan-worshipers-plotted-to-destroy-europe-through-massive-refugees/