quinta-feira, 28 de maio de 2015

COMEMORAÇÕES DO 10 DE JUNHO DE 2015


3 comentários:

Anónimo disse...

Boas
Após o Sr. PR ter "passado a mão pelo pêlo" dos militares "cobaias de testes" no seu discurso do 10 de Junho vem agora publicado em DR um ( https://dre.pt/application/file/67460052 ) louvor do CEMGFA - depois de imensas condecorações e louvores a tropas destacadas por terem simplesmente cumprido a sua missão mas nada de excedentário - às antigas Enfermeiras Para-quedistas, por servirem entre 1961 e 1974. Sem desprimor acho um louvor um bocado fora do contexto excepto se houver alguma manobra eleitoralista por detrás disto ou quiçá algum affair desconhecido. Bem feito, bem feito era as mesmas serem louvadas individualmente mas se calhar era complicado ter de ir procurar o nome de todas, até porque já o foram outrora. Louvores e medalhas "por dá cá aquela palha"
Bem haja TC
João Pedro

Anónimo disse...

Militares na reserva e Segurança nas escolas por 1/3 do vencimento
http://www.dn.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=4619703, diz o DN "Até agora estas funções estavam reservadas a "aposentados e reservistas" das forças de segurança ou órgãos de polícia criminal.", 3 parágrafos abaixo citam o Decreto-Lei n.º 117/2009 de 18 de Maio no seu Artigo 7.º diz "Recrutamento e regime de vinculação dos chefes de equipa de zona e dos vigilantes 1 — Os chefes de equipa de zona e os vigilantes são recrutados, exclusivamente, de entre aposentados e reservistas fora da efectividade de serviço, ou equiparados, das forças de segurança ou órgãos de polícia criminal." NEM LER SABEM ESTES JORNALISTAS E ATÉ SE CONTRADIZEM NO QUE ESCREVEM. Ora ai está mais uma manobra para despedir os que existem e arranjar outros por 1/3 do vencimento que lhes competia de acordo com a Portaria n.º 1553 -C/2008. - Mais um teste para as COBAIAS.
Bem Haja TC
João Pedro

JC Abreu dos Santos disse...

O meu amigo Brandão Ferreira, que me desculpe utilizar este seu espaço, para replicar ao comentarista João Pedro - o qual, absolutamente fora de contexto do objecto deste 'post' dedicado ao XXII Encontro Nacional de Combatentes –, em duas sucessivas "manobras de agitprop", fala do que não sabe.
Jingindo-me ao primeiro 'comment', e aqui declarando desde já o meu desinteresse tanto pelas pessoas do PR e do CEMGFA (nenhum dos quais me merece especial simpatia), note-se que a data de despacho do CEMGFA precede em oito dias a data do evento em Belém; além do que aquele comentarista (João Pedro, quem é?), aduz juízos de intenção "eleitoralista" totalmente despropositados.

Para agitprop síndico-castrense, bastou ao País a gerada após Jun-Set73; e o mais recente arremedo, direi mesmo abuso de circunstância, por parte da AOFA/ANS/AP, em exaltadas "declarações aos jornalistas", precisamente no pretérito 10/6 defronte ao Memorial Nacional "Aos Combatentes do Ultramar".

Concluo, apelando ao habitual bom senso do meu amigo pessoal Brandão Ferreira, e à sua paciência, no sentido de aqui emitir o seu parecer sobre as questões expostas nesta caixa de comentários.

O assunto, e o local, são por demasiado sérios para que possam servir como arma de arremesso de pulhítica caserneira.

Um abraço, do Abreu dos Santos.